Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Aos coveiros de Portugal

por Isabel Paulos, em 25.01.21

Ed87-Gravediggers1.jpg

*

No rescaldo das eleições sobra-me apenas uma profundíssima desilusão, não com o resultado em si, mas com o futuro que se avizinha. A plena consciência de que pior do que possam fazer aqueles com quem poucas ideias comungamos, muito pior é aquilo do que são capazes os mais próximos do nosso ideário. Os adversários estão cá dentro e comem o País por dentro. Incapazes de gestos nobres. Incapazes de perdoar e ajudar a corrigir as pequenas pechas de quem pode representar uma solução futura. Inábeis, não concebem congregar esforços em volta de alguém com deficiências de sensibilidade política, mas capaz de representar os interesses do País. Cheios de vaidades e conhecimento do ardil da ciência política sabem tudo, estão certos de tudo. Os outros são pobres ingénuos, alheados das realidade. Plenos de erudição e da arrogância das citações sarcásticas cujo alcance nunca percebem além do seu umbigo, preferem os amigos de sempre, os Relvas desse Portugal funesto. E assim se continuará a adiar Portugal, que num futuro próximo se verá nas mãos de um primeiro-ministro enfraquecido pelas sanguessugas da intriga política, ou nas mãos de um qualquer outro primeiro-ministro ele próprio elevado a sanguessuga-mor, com o aplauso das alcofas fofas, tão miseráveis de nobreza de carácter. Pode ser que tenham sorte e caia um lugar no Governo ou numa entidade pública. Pode ser que tenham sorte e se sintam reconhecidos como a verdade efémera do seu tempinho. MAS não valem o País que herdaram. Não valem a ingenuidade dos alheados que acreditando em homens e mulheres imperfeitas foram ajudando a fazer a Nação.

Resta a prostração, a vontade de fugir e a vergonha de ver o País assim entregue aos doutos, lúcidos, perfeitos e impolutos coveiros de Portugal. Todos de consciência muito tranquila.

 



Mais sobre mim

foto do autor




Dose recomendada

Accuradio


Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D