Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Papéis

por Isabel Paulos, em 04.08.20

Bloco-de-Notas1.png

Houve tempos em que arrumar papéis significava estar um par de horas a ler desabafos, postais, cartas ou outros escritos com cinco, dez ou vinte anos. Há muito que tal não acontece por ser cada vez mais raro usar papel e caneta, senão profissionalmente ou para brevíssimas anotações. E mesmo aí noto que começo a perder o hábito de ter a caneta e folha de papel que sempre me acompanharam, preferindo o simples bloco de notas do Windows. Temo deixar de saber escrever com caneta ou lápis. Depois de há treze anos ter destruído todas as notas manuscritas hoje, quando quero escrever ou rever qualquer coisa escrita dos últimos anos, socorro-me de suportes digitais.

Arrumar papéis tem agora um significado diferente. De meses a meses procuro ver o fundo das gavetas. O que quer dizer sentar-me à secretária e depois de despejar os papéis das gavetas, organizá-los por pequenos montes: finanças, seguros, saúde, etc. E arquivá-los. Há anos que repito o ritual e de todas as vezes me sobram os inclassificáveis ou pendentes, que acabam no fundo da gaveta em micas, até à próxima.

Costumo conseguir realizar a tarefa numa noite. Mas desta vez deixei para terminar amanhã, na vaga esperança que a coisa fique mais completa.





Dose recomendada

Accuradio


Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D