Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Perspectivas

por Isabel Paulos, em 19.02.20

limpa janelas

Ando com vontade de escrever sobre o politicamente correcto há dois ou três dias. Sobre dissimulações, ismos de natureza vária e outras chocadeiras de fanáticos. Mas a empreitada pressupõe juízo e bom senso nos píncaros, coisa com que não acordo todos os dias, a menos que tenha nascido ensinada e não tenha dado por isso, o que é pouco provável.

Em vez do longo articulado sobre tonterias - adiado para dia mais inspirado -, dou-me ao luxo de desabar um desgosto. Trago a pena de não ter vivido fora de Portugal por minha conta e risco e por tempo suficiente para me pôr à prova. Sempre achei que estar fora nos enrijecia como gente, além de nos fazer bem às ideias. É certo que nasci em Angola, mas vim para cá com pouco mais do que um ano. É certo que lá voltei há quinze anos com ideia de ficar a trabalhar, mas decidi regressar em semanas. E que estive um mês e picos nos Estados Unidos, mas em férias, tal como os dois meses na Austrália. Porém, estes e outros arejos, pouco mais do que turísticos, por simpáticos que tenham sido não permitiram fazer aquilo que acho ser obrigação de um bom português: desenrascar-se (o texto inicial tinha um verbo mais incisivo) em terra estranha.

É possível que se tivesse vivido por minha conta e risco a lavar janelas em Nova Iorque, a limpar rabos num lar de idosos algures na Cornualha ou na construção civil em Berlim, gozasse de opinião mais bem formada, por exemplo, sobre racismo e xenofobia.






Dose recomendada

Accuradio


Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D