Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O espanador - Coreia do Norte

- actualizado -

por Isabel Paulos, em 26.03.22

22194581_IOQE0.jpeg

16. Coreia do Norte

 

A anexação da Península da Coreia em 1910 pelo Império Japonês originou natural revolta dos coreanos e durante a Segunda Guerra Mundial fê-los juntarem-se ao esforço de guerra dos norte-americanos no fito de recuperarem a independência. Sucede que com o fim da guerra as duas potências vitoriosas acordaram na Conferência de Potsdam que a Península da Coreia fosse dividida em duas zonas de influência com ocupação militar provisória assente no marco divisório Paralelo 38: a zona norte ficou sob domínio soviético e a parte sul sob influência americana. Em 1950 a Coreia do Norte, com apoio soviético e mais tarde a participação chinesa, invadiu a Coreia do Sul com intenção de reunificar o país sob o comando de Kim Il Sung. Do lado da Coreia do Sul houve intervenção de tropas americanas. Em 1953 o armistício de Panmunjom determinou uma trégua que pôs fim ao conflito sem que viesse a ser assinado um verdadeiro tratado de paz.

Na Coreia de Norte vingou um regime comunista pró-soviético de partido único concentrado na industrialização e na auto-suficiência, que veio a perder o apoio russo em razão da cisão sino-soviética. A partir dos anos 70 a economia norte-coreana começou a decair com a crise energética provocada pela crise petrolífera passando a estar altamente endividada. Nos anos 90 estima-se que 800 mil pessoas tenham morrido de fome.

É difícil perscrutar o que se passa na Coreia do Norte atenta a ausência de informações sobre o que se passa neste país isolado do resto do mundo com um governo norteado por uma política extremista, com total opressão interna e intenções de agressão externa. Um país onde existe trabalho escravo e execuções públicas. Além de reconhecido como pólo de actividades cibernéticas maliciosas. É por isso de extrema importância o testemunho de quem está dentro dessa bolha tenebrosa que é a vida norte-coreana.

A realizadora do filme Soup and Ideology Yonghi Yang conta em documentários a história da família - coreanos emigrados no Japão em busca de uma vida melhor, com toda a envolvente de discriminação associada e a particularidade da comunidade coreana no Japão espelhar o conflito norte/sul do país de origem. Descreve a sedução no pós-guerra da primeira facção pela Revolução Comunista. Relata a forma como nos anos 70 o pai, entusiasta do regime socialista da Coreia do Norte, deu os três filhos rapazes adolescentes como uma espécie de presente de aniversário a Kim Il Sung, enviando-os orgulhosamente para o país de origem para viver na capital, Pyongyang. E a forma como pouco depois os pais se aperceberam do erro que cometeram ao receberem cartas dos filhos, nas quais se mostravam sempre muito agradecidos e tecendo louvores à Coreia do Norte ao mesmo tempo que juntavam fotografias dos próprios cuja magreza extrema os denunciava famintos. A realizadora descreve que esteve mais de uma década sem ver os irmãos e quando autorizada a visitar a Coreia do Norte, os viu por breves minutos, sendo orientada a usar o tempo nas visitas a museus laudatórios da história da Revolução.

A génese do programa nuclear da Coreia do Norte, intensificado nos anos 80/90, remonta aos anos 60/70 quando a União Soviética forneceu o primeiro reactor e foi construído o segundo - em resposta às pré-existentes ogivas nucleares na Coreia do Sul instaladas pelos Estados Unidos. Os norte-americanos negociaram nos anos 90 troca de ajuda económica pelo desmantelamento do programa nuclear norte-coreano, que nunca se concretizou, tendo-se a Coreia do Norte desvinculado do Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares em 2003, continuando a desenvolver e modernizar armas nucleares e misseis balísticos, em violação das resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas. No último ano Kim Jong Un tem promovido o lançamento de diversos misseis balísticos e ameaçou suspender a moratória de quatro anos quanto a testes nucleares e lançamento de mísseis balísticos intercontinentais.

 

Desta saga existem nas Comezinhas as entradas abaixo indicadas, muito desiguais entre si.

 

1. O espanador - E.U.A.

2. O espanador - Venezuela

3. O espanador - Peru

4. O espanador - Brasil

5. O espanador - Áustria

6. O espanador - Hungria

7. O espanador - Angola

8. O espanador - Nigéria

9. O espanador - Moçambique

10. O espanador - Rússia e Ucrânia

10.A. O espanador - Ucrânia

11. O espanador - Turquia

12. O espanador - Síria

13. O espanador - Israel

14. O espanador - Índia

15. O espanador - China

 





Dose recomendada

Accuradio


Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D