Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Falta de pudor

por Isabel Paulos, em 23.04.21

Thomas-Rowlandson-aquatint-500x321.jpg

Thomas Rowlandson, A Dança da Morte: O Glutão.

*

Desculpem aborrecer com realidades desagradáveis, mas face a tanto regozijo do Governo e da comunicação social com o excitado primas, fomos os primeiros a apresentar o Plano de Recuperação e Resiliência de 16 mil milhões, só apetece recordar que a dívida pública se cifrava em Outubro último em 268 mil milhões.

Até quem entende o que é gestão da dívida, face a tanta gulodice (só falta esfregarem as mãos nas aparições públicas), não pode deixar de recordar as palavras desse sábio amigo, educador e inspirador dos actuais governantes, José Sócrates: "Para pequenos países como Portugal e Espanha, pagar a dívida é uma ideia de criança. As dívidas dos Estados são por definição eternas. As dívidas gerem-se. Foi assim que eu estudei".

A arte de enfraquecer o povo

por Isabel Paulos, em 02.11.20

Oiço ao longe a voz do nosso Presidente da República. Prescindi de o ouvir nesta divisão da casa – onde reina o quase silêncio -, como medida profiláctica. Hoje à hora de almoço tive a oportunidade de sentir o medo estampado na cara e na voz de uma empregada doméstica, que se indignava em tom pesaroso contra as pessoas que andam sem máscara e não têm cuidado nenhum, e agora só se ouve falar em grandes festas e essas coisas. Concluindo: isto está muito mau e tudo vai depender de como as pessoas se portarem.

Depois desta amostra, fiquei logo ciente de não precisar de ouvir o nosso Presidente ou o Primeiro-Ministro. O trabalhinho já havia sido feito e o nosso destino estava marcado.

Há momentos em que acredito que há progressos e que o juízo vai acabar por imperar, mas depois caio em mim e noto que isto vai num crescendo. Há meio ano, na primeira vaga, o lema era: fiquem em casa, que vai ficar tudo bem. Agora na segunda: ponham a máscara, tentem não sair, guardem a distância física a ver se não isto não piora muito por vossa culpa. Lá para a terceira já devemos estar no patamar: denunciem e castiguem os maus exemplos para evitar que morramos todos. E, finalmente, na quarta vaga, presumo que tenhamos: há que sacrificar prevaricadores para salvar a humanidade e ganhar o reino dos céus. A vacina chegará antes da quinta vaga, mesmo a tempo da governação e presidência se congratularem com novo milagre português do baralha, parte e volta a dar, mantendo a população na ignorância e os governantes inimputáveis.

A arte de governar sacudindo a água do capote. Ou, na boa sabedoria chinesa: a arte de enfraquecer o povo. E voltamos ao mesmo.

21854561_Eo8nu.jpeg





Dose recomendada

Accuradio


Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D