Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Vôo

por Isabel Paulos, em 18.09.20

A Praça de Carlos Alberto mais ampla e iluminada, talvez pelo passeio de quarta-feira pela zona ribeirinha lisboeta. Sinto-me no meio de muita gente a palmilhar a calçada. Um veículo incerto - não sei se carro, se pequeno avião ou qualquer outra coisa voadora -, iça-se no ar conduzido por uma rapariga. Ninguém, senão eu, repara. A praça continua o movimento normal. Percebo que tal como subiu bem alto vai ter que descer. Um grito de aviso lá de cima pede às pessoas atenção e que se desviem: o objecto voador vai cair. Finalmente, alguns transeuntes percebem o perigo e avisam-se entre si prevendo o acidente. Desviam-se e o objecto cai isolado sem magoar ninguém. Falta a rapariga, penso eu. E já com a maioria dos transeuntes de olhos postos no céu vem a rapariga sem pára-quedas a descer em diagonal. O seu trajecto veloz cruza-me o olhar de sudeste para noroeste. Fico, como todos na praça, assustada pelo que possa acontecer. Abre-se uma ala e percebo que, apesar de não a ver, aterrou de pé, em segurança, sem qualquer mazela. Como nalgumas aterragens de avião, nas quais os passageiros batem palmas, as pessoas à volta dela aplaudem. Ao longe, junto-me ao aplauso olhando para zona onde caiu, sem nunca a ver. Viro costas, sigo o meu caminho em direcção aos Leões.

Acordo. Do sonho mais impressivo de hoje.





Dose recomendada

Accuradio


Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D